Quem passa por cá

.

.
Vejam a lista de cientistas que estão no Mentes. UPDATE 07/01/2014

Projecto ENCERRADO Projecto II/2013- vida nocturna no meu jardim.
Vejam AQUI as CONCLUSÕES

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Vaso com molas da roupa estragadas

As molas da roupa são óptimos instrumentos para trabalhos manuais, para além disso estão sempre a estragar-se e todos sabemos o tão difícil que é recolocar a mola sem magoar os dedos.
Hoje trago-vos uma ideia para reutilizar as molas da roupa estragadas em trabalhos criativos e coloridos, vamos construir um vaso para plantas.


Precisamos de:
  • 1 lata, preferencialmente daquelas maiores, de feijão ou grão,
  • Molas da roupa, neste tutorial utilizamos molas de madeira, mas na prática podem também utilizar de plástico, depende da imaginação,
  • cola quente, podem usar outros tipos de cola com a cola branca ou a tradicional cola transparente,
  • arame,
  • verniz,
  • tintas,
  • pincéis,
  • 1 prego,
  • martelo,
  • terra,
  • sementes, do que quiser, podem utilizar um bolbo também.
Como fazer:
  1. Lavem bem a lata, retirem-lhe todos os restos de cola e de papel;
  2. Sequem a lata;
  3. Virem a lata ao contrário e com o martelo e o prego façam 3 ou 4 furos no fundo, estes furos servem para a água em excesso sair e evitar que a vossa planta apodreça, se preferirem podem utilizar este método para furar a lata mas não é necessário pois não fica à vista;
  4. Retirem a mola metálica da mola da roupa, claro que é sempre mais interessante ir usando aquelas molas que já estão estragadas;
  5. Guardem as peças metálicas, lembrem-se que podem reutilizá-las noutros trabalhos que façam;
  6. Colem as metades da molas ao longo da lata, não se preocupem se a mola é mais curta ou mais comprida que a lata, mais tarde vão pintá-las e a criatividade resolverá esse problema;
  7. Colem-nas juntinhas, com a parte lisa para dentro;
  8. Quando terminarem, prendam o as molas à lata com o arame, conforme figua, isto assegura que as molas não se vão descolar mais tarde,
  9. Deixem secar o vosso trabalho por 3 a 4 horas;
  10. Escolham as cores que querem ver no vosso vaso, e pintem-no a gosto;
  11. Quando a tinta secar, sigam as instruções da embalagem, envernizem as molas;
  12. Deixem secar novamente, em principio o verniz leva mais tempo a secar que a cola ou a tinta;
  13. Coloquem a terra no vaso, plantem as sementes/bolbo, reguem e coloquem ao sol conforme necessidades da planta que escolheram, convém colocarem um prato por baixo para apanhar a água que sai pelos furos.


Referências: artistshelpingchildren.org

Et voilá!
Agora não estraguem as molas de propósito!


Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 79

Os tecidos animais e vegetais são grupos de células que partilham semelhanças e estrutura e função.
in about online

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Germinação- sementes de feijão

As plantas precisam de água, luz e água. O cocktail acertado destes três elementos é a chave do sucesso de qualquer planta, sejam as do jardim, as da horta ou as da varanda. Há plantas que só podem ser regadas "no prato", outras que são de interior, outras não podem apanhar luz directa, para que tenhamos sucesso a tratar de plantas é necessário conhece-las, mas todas eles sobrevivem graças a estes três elementos.
Hoje proponho-vos uma demonstração que vos vai permitir observar a importância da água e do ar no desenvolvimento dos feijões.

Precisamos de:
  • três pratos,
  • feijões, vários, iguais e secos, não usem enlatados ou cozidos,
  • tigela,
  • caneta ou etiquetas autocolantes;
  • água,
  • pano absorvente,
  • papel mata-borrão.
Como fazer:
  1. Coloquem os feijões na tigela durante 24h, este passo serve para hidratar o feijão, simulando a sua exposição aos agentes exteriores;
  2. Escorram os feijões e com um pano absorvam a humidade que possa ter restado;
  3. Em cada prato coloquem um pedaço de papel mata borrão, o suficiente para o forrar;
  4. Marquem os três pratos como: "com água" "sem água" "só húmido";
  5. Dividam os feijões pelos 3 pratos, eles devem ficar espalhados e ligeiramente afastados uns dos outros;
  6. Encham o prato marcado "com água", com água até cobrir os feijões;
  7. No prato marcado "só húmido" coloquem água suficiente para humedecer o papel;
  8. O prato "sem água" deve ser mantido seco durante o ensaio;
  9. Controlem a humidade e a quantidade de água nos dois primeiros pratos, mantenham sempre o ambiente húmido do mata-borrão no prato "só húmido".
  10. Observem os resultados do crescimento em cada um dos pratos durante 5 dias após o início do ensaio.
O que acontece?
Os feijões que estavam no prato "só húmido" são os únicos a germinar.
Porquê?
Porque era o único prato em que o cocktail ar/água/luz estava correcto. No prato com água afogámos os feijões retirando-lhes a possibilidade de acesso ao ar, no prato "sem água" não demos às sementes acesso à água.
Claro que há plantas que crescem em ambientes mais húmidos, mais escuros, cada planta tem as suas necessidades específicas.


Transformem este ensaio numa verdadeira experiência. Façam vários pratos com quantidades de água diferentes e tentem descobrir qual é a melhor relação água/ar para os vossos feijões. Tenham alguns cuidados, o número de feijões nos pratos deve ser sempre o mesmo, o tipo de papel tem de ser igual, os pratos do mesmo tamanho, e por fim, os feijões da mesma marca. Podem experimentar com outros tipos de feijão, com ervilhas....


Et voilá!
Nem só de ar vive, neste caso, o feijão


Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 78

As sementes das plantas contêm embriões capazes de produzir novas plantas sob determinadas condições. A maioria das sementes têm revestimentos exteriores que protegem a vida que existe dentro dela e ao mesmo tempo nutrem-na. Muitas sementes podem permanecer dormentes durante anos, basta para isso que se mantenham em ambientes secos e frios. Adicionando água, calor e luz à mistura,as sementes germinam e originam uma nova planta.
in ehow online

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Monstros de meias rotas

Já aqui fizemos bonecos com cabeça de relva e bonecos com balões, hoje trago-vos mais uma ideia, desta vez bonecos de meias, óptimo agora que começaram as aulas, os pés cresceram, e se compra roupa nova.
Hoje em dia são poucas as pessoas que cosem meias, não sei se devido à aparente falta de tempo na lufa lufa do dia-a-dia, se devido ao preço baixo que este artigo atingiu. Hoje é mais barato e prático deitar fora as meias rotas e comprar um pack de 4 pares por 2€. O que fazer então às meias rotas? Fica aqui uma ideia para a sua reutilização.

Precisamos de:
  1. Meia velha, se tiver buracos cosa-a grosseiramente, não é necessário grande perfeição, com uma meia de bebé funciona melhor, mas podem utilizar qualquer uma,
  2. Espuma de enchimento, pode usar esponja, bolinhas de esferovite, arroz, massinhas daquelas de por na canja... não utilize materiais como a areia ou a farinha, a meia é feita de malha e estes produtos acabariam por escapar,
  3. Botões,
  4. Limpadores de cachimbos (daqui para a frente referidos como LC), existem várias cores, na imagem são verdes,
  5. Feltro,
  6. Fio,
  7. Fita cola dupla, cola ou agulha e linha.
  8. Outros materiais pequenos coloridos que possam ser aplicados no nosso monstro para o tornar colorido e engraçado.
  9. Googly Eyes, olhos de plástico redondos e ocos, com uma bolinha preta solta lá dentro.


Como fazer:
  1. Certifiquem-se que a meia não tem buracos, se tiver cosam-na;
  2. Encham a meia com o material de enchimento que escolheram;
  3. Quando acharem que está bom tentem fazer com que o vosso monstro se segure em pé, ajustem o enchimento à posição que desejam;
  4. Com o fio fechem a meia, o nó deve ser forte para o enchimento não sair;
  5. Espetem um LC na parte de cima, e com jeitinho moldem as antenas do monstro, podem utilizar várias cores e fazer o cabelo também, a lã também funciona;
  6. Cortem o feltro em forma de boca e nariz, e apliquem-nas no monstro, podem utilizar a fita cola dupla, a cola ou a agulha para coser;
  7. Colem os googly eyes, se não tiverem estes olhos, podem utilizar outros materiais como botões;
  8. Para os braços espetem um LC de um lado ao outro da meia, pelo eixo horizontal, e recortem as mãos no feltro;
  9. Façam os pés da mesma forma que os braços.
Et voilá!
Meias assustadoramente reutilizadas!


Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 77

O chocolate tem grandes benefícios para a saúde. Ajuda com a depressão, pressão alta, tumores e síndromes pré-menstrual.
in infobarrel.com

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Como limpar as pratas, resposta ao leitor

A equipa das Mentes Irrequietas tem vindo a responder a algumas questões colocadas pelos nossos visitantes, desta vez a pergunta chega-nos da Zezé:


"Ola a todos,
apesar de eu não ser jovenzinha, minha mente continua irriquieta e adorando entender como as coisas funcionam.
Bom eu sou uma apreciadora da prata, mais que do ouro, acho a prata mais introspectiva, misteriosa, por isso tantos paralelos com a lua, penso!!!
Mas será que a única maneira de limpar a prata é daquele jeito sofrido?
Será que não existe uma espécie de "vinagre"que limpe a prata.
Imagina que delicia, submergir o objecto e tãrammmmm!! sair brilhante.
Por favor diga que existe.
Um grande abraço e parabéns pelo trabalho isso é que é diversão!!"




Antes de responder à pergunta em concreto é importante tecer algumas considerações sobre a prata.
A prata é um metal de transição de peso atómico 107,87 e o seu número atómico é o 47, na tabela periódica aparece na zona central, representada pelo símbolo químico Ag (do latim Argentum).
Este metal, utilizado desde a pré-história, tem nos nossos dias variadíssimas aplicações, a primeira é a óbvia: pratas e jóias, mas também é utilizada na fotografia, em compostos dentais, na solda, nos contactos eléctricos, nas pilhas, e até nos espelhos, e circuitos impressos.  Para além destas aplicações a prata é ainda utilizada como um germicida e moeda de troca nalguns países.


A prata é o melhor reflector conhecido da luz visível, no entanto, rapidamente perde o brilho, oxida. 
  • Fulminato de prata (Ag2C2N2O2) - poderoso explosivo. 
  • Iodeto de prata - usado na semeadura de nuvens para produzir chuva. 
  • Cloreto de prata - é usado como cimento para o vidro. 
  • Nitrato de prata - largamente utilizado na fotografia. 
A prata, em condições normais, não apresenta qualquer toxidade, já o mesmo não se pode dizer dos seus sais. A exposição a este metal deve ser controlada em termos de horas e concentração pois os compostos de prata podem ser absorvidos pelo sistema circulatório, e consequentemente depositados nos tecidos. 


Apesar de todas estas considerações, há uma coisa que é preciso dizer, a prata é "chatinha", oxida facilmente e tem de ser limpa com regularidade, os processos de limpeza são chatos e consomem muito tempo, ou se nos quisermos poupar o trabalho, custam-nos muito dinheiro.
Em resposta à Zeze posso dizer-lhe que sim, existem vários processos de limpeza de pratas, mas que devem ser utilizados com cautela e com a consciência de que são processos abrasivos e que por isso, mesmo quando utilizados com o maior dos cuidados podem riscar as pratas.


Primeiro método:
O polimento normal, com produtos específicos para o efeito, este método é sempre o aconselhado quando se trata de peças de valor ou de colecção, os produtos profissionais são sempre mais seguros, eliminam a oxidação ao mesmo tempo que previnem os riscos.

Segundo Método:
Pasta de dentes, a branca sem aditivos. A pasta de dentes limpa lindamente a prata.
Neste caso utilize um pano macio ou uma escova de dentes de cedras muito macias. Esfregue a prata com a pasta. Não faça movimentos muito bruscos ou fortes e esfregue sempre no mesmo sentido. No final passe por água morna e  seque.
Atenção: este método é abrasivo e pode riscar a prata.


Terceiro Método:
Faça uma pasta com bicarbonato de sódio e água e limpe da mesma forma que a pasta de dentes.
Atenção: este método é abrasivo e pode riscar a prata.

Quarto Método:
Dar banho à prata, este método é fácil e prático, e tem a grande vantagem de que o banho consegue chegar a ranhuras onde o polimento não consegue. Existem produtos no mercado especiais para dar banho à prata, consultar um especialista é sempre aconselhável, presumo que uma drogaria tenha esta resposta. Neste caso basta seguir as instruções do fabricante.
Também pode fazer um banho caseiro, e neste caso não se esqueça que a prata pode ficar danificada. De qualquer forma deixo aqui a dica.


Como fazer:
  1. Aqueça bem alguma água;
  2. Enquanto a água aquece aproveite para forrar uma assadeira com papel de alumínio, daquele corrente na cozinha;
  3. Enche a assadeira forrada com a água quente;
  4. Adicione sal grosso e fermento (bicarbonato de sódio) à água, as fontes consultadas falam em 2 colheres de sopa de fermento para 1 colher de chá de sal;
  5. Homogenize a solução;
  6. Coloque as pratas na solução;
  7. As manchas vão dissolver-se, esteja atento para verificar quando as peças estão limpas.
  8. Retire as pratas do banho e limpe-as com cuidado e um pano macio.


Nota: 
  • Guarde as pratas em locais secos, utilize um pouco de giz ou sílica para reduzir a humidade
  • Não exponha a prata a agentes com enxofre, este químico provoca a erosão da prata (por exemplo maionese, ovos, mostarda, cebola, látex, lã)
  • Cuidado com o "overcleaning", limpar a prata em demasia pode causar danos irreversiveis.
  • Utilize a prata, o uso dos objectos ajuda a mante-los livres de manchas.
Referências: wikihow.com; chemistry.about.com

Et voilá!
Um grande abraço Zezé, volta sempre com perguntas novas, a equipa do mentes irrequietas tentará dar resposta.

Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 76

Em Portugal há mais de uma 1 caixa de multibanco por cada mil habitantes (13,5 caixas por cada 10.000 habitantes)
Dados do INE em 2011

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

1+1 nem sempre é dois

Este é um dos grandes problemas da matemática, a par daquele que diz que 0 é diferente de 0. Mas não é sobre matemática que vamos falar hoje.


O Princípio de Arquimedes diz-nos o seguinte:

"Todo o corpo mergulhado total ou parcialmente num fluido recebe da parte deste, uma impulsão vertical, de baixo para cima, de intensidade igual à do peso do volume de fluido deslocado pelo corpo."

Ou seja, para os mais leigos, quando se coloca um corpo dentro de água o volume da mesma que é deslocado é igual ao volume do corpo que lá colocamos.


O exemplo mais simples é o banho de imersão, se enchermos uma banheira de água e nos deitarmos dentro dela, para além do efeito relaxante temos também a ilusão do aumento do volume de água na banheira. Se criarmos uma forma de calibrar a banheira para saber quantos litros de água leva (em posições intermédias) conseguimos saber qual é o volume que o nosso corpo ocupa, sendo que 1L=1dm3.
Mas isto é quando 1+1=2, então e quando 1+1= não sabemos bem quanto?


Há várias formas de provar isto, apenas precisamos de alguns materiais que andam lá por casa e de um pouco de "olho".


Precisamos de:
  • frasco de vidro,
  • fita adesiva, que dê para escrever,
  • caneta,
  • açúcar,
  • copo medidor,
  • toalha de papel,
  • palhinha,
  • colher,
  • água quente.
Como fazer:
  1. Lavem e sequem bem o frasco;
  2. Colem a fita verticalmente no frasco;
  3. Encham o copo medidor de água quente e deitem-na dentro do frasco;
  4. Com o marcador marquem a altura de água no frasco;
  5. Enchem de novo o copo de água quente e adicionem ao frasco;
  6. Repitam a marcação;
  7. Despejem a água;
  8. Limpem bem o frasco com a toalha de papel;
  9. Encham novamente o copo medida com água quente;
  10. Despejem no frasco, este deverá atingir a marca 1 do frasco;
  11. Encham o mesmo copo com açúcar e despejem no frasco;
  12. Marquem de imediato o volume de água+açúcar no frasco;
  13. Com a colher mexam a solução, para a homogeneizar;
  14. Marquem novamente o volume total.
O que acontece?
Um volume de água quente+ Um volume de açúcar não perfaz 2 volumes anteriormente marcados. Podem fazer a experiência e fazer as marcações com o açúcar, qual seria o resultado?
Porquê?
Como já vimos aqui e aqui as moléculas de água organizam-se de forma a criar uma estrutura estável e coesa. Nesta organização formam pontes de hidrogénio que proporcionam a formação de "espaços" em branco no meio da estrutura, como aqueles chocolates que têm bolhas de ar lá dentro. Estes espaços em branco são tão maiores quanto a "excitação", vibração das moléculas, por isso usámos água quente, há mais espaços e a dissolução é mais rápida.
Quando se adicionou o açúcar mediu-se o volume antes de se mexer a solução. O volume deverá ter variado pois o açúcar, depois de homogenizado em solução aquosa preenche os espaços livres entre as moléculas de água daí que:

1 unidade de açúcar+ 1 unidade de água não é igual a 2 unidades de água, 

Isto é uma demonstração, transformem esta brincadeira numa experiência, verifiquem se:
1 unidade de açúcar+ 1 unidade de água é igual a 2 unidades de açúcar
ou respondam à pergunta:
Qual é a influência da temperatura da água nesta demonstração? porquê?


Et Voilá!
Docinho, docinho. Vamos ensinar umas coisas ao professor de matemática


Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 75

As melhores rolhas de cortiça vêm de Portugal e este país é lider mundial na produção de cortiça. 
in facts.trendstoday.info

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Lanternas recicladas- úteis, bonitas e personalizadas

Vem aí o Natal, e o dia das bruxas, altura ideal para pensar em velas e luz. 
Encontrei esta ideia super-irrequieta aqui e já comecei a magicar uma forma de a fazer:


Precisamos de:
  • Latas, daquelas de alimentos, salsichas, cogumelos, ervilhas... enfim, daquelas que andam aí por casa,
  • Martelo, cuidado com os dedos,
  • Um prego, pessoalmente acho que o efeito fica mais giro se o prego for mais fino,
  • Água, suficiente para encher as latas,
  • 1 pano da loiça,
  • Congelador, sim o do frigorífico,
  • Velas, tantas quantas as luminárias;
Como fazer:
  1. Encham a(s) latas de água;
  2. Coloquem-nas no congelador, de um dia para o outro;
  3. Com um marcador lavável desenhem na lata o que querem ver iluminado, podem também fazê-lo num papel e colar o papel na lata, com fita cola;
  4. Estendam o pano numa mesa, resistente;
  5. Com o prego e a ajuda do martelo façam furos ao longo dos traços e a espaços equidistantes;
  6. Coloquem a lata no lava loiças, para a água descongelar;
  7. Sequem muito bem a lata com um pano;
  8. Podem agora pintá-la como fizeram aqui;
  9. Depois coloquem a vossa vela lá dentro.


Et voilá!
Efeitos de luz a gosto


Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 74

O CD foi desenvolvido pela Philips e Sony em 1980. Neste momento, já está fora de moda.


in Music fast facts online

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 73

O corpo humano em adulto tem 206 ossos, em criança tem 300, à medida que a criança cresce estes ossos vão-se fundindo

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Emulsão, esferas de óleo e água corada

Limpar a fritadeira lá de casa não é propriamente tarefa fácil. Quem costuma fazer essa tarefa sabe que a quantidade de óleo que passa para a esponja para as mãos e para o lava-loiças é uma coisa por demais.
Para minimizar este efeito gorduroso costumo encher a fritadeira de água a ferver e juntar-lhe detergente daquele ultra concentrado em quantidade generosa. Na verdade costumo fazer isso a toda a loiça que tenha gordura e vá para a máquina de lavar. Porquê? Porque permite que a gordura se dissolva na água e suje menos quer a máquina, quer as mãos.

Porque é que isto acontece?
Porque o detergente é um emulsionante, e como tal promove a formação de emulsões.
Uma emulsão é um sistema constituídos por duas fases líquidas imiscíveis (oleosa e aquosa). Podemos ter emulsões do tipo óleo em água (O/A: fase externa aquosa) e água em óleo (A/O: fase externa oleosa).
A estabilidade da emulsão é garantida com o uso de agentes emulsificantes, como o detergente, geralmente substâncias tensoativas.

Precisamos de:
  • 3 copos transparentes, vidro ou plástico,
  • Água, a suficiente para encher dois dos copos,
  • Óleo de cozinha,
  • Corante alimentar líquido,
  • Lápis.
Como fazer:
  1. Encham um dos copo com água até 2 / 3 e outro com a mesma quantidade de óleo alimentar;
  2. Adicionem 3 a 5 gotas de corante alimentar a cada copo, permitam às gotas algum espaço de forma a que elas não se toquem;
  3. O que acontece? 
  4. Encham o terceiro copo de água até 2/3, adicionem óleo de forma a que se forme uma camada por cima da água. 
  5. Adicionem o corante alimentar da mesma forma que no ponto anterior.  Tentem prever o que irá acontecer.
  6. O que acontece?
  7. Com a ponta do lápis toquem numa das gotas de corante do terceiro copo
  8. O que acontece?
Quando o corante alimentar é adicionado à água, ele mistura-se com ela.
Se se fizer o mesmo no óleo,o corante forma uma pequena esfera e não se mistura! 

Porquê?  


As moléculas de água são chamadas polares, porque têm uma pequena carga positiva numa das extremidades e uma pequena carga negativa na outra, por esta razão mantêm-se juntas- pela formação de pontes de hidrogénio. Ao contrário das moléculas de água, as moléculas de óleo são não-polares - não têm carga, por esta razão, as moléculas de óleo tendem também a ficar juntas.

Quando forçamos um óleo a misturar-se com uma solução aquosa (liquido à base de água) estes formam uma emulsão.

Um emulsionante é uma molécula que possui duas extremidades diferentes, uma que gosta de água (hidrofílica), e outra que não gosta de água- tem fobia- (hidrofóbicas).
Imaginem uma estaca com duas pontas distintas, a parte  hidrofobica enterra-se no óleo e hidrofilica na água. Isto faz com que o óleo forme pequenas esferas no meio das moléculas de água, "seguras" umas às outras pela tal "estaca" que é o nosso agente emulsionante. Esta mistura é estável, e mantêm-se coesa, muitas coisas que andam aí por casa são emulsões, cremes e maioneses por exemplo. 
Se tentarem homogeneizar o conteúdo do copo 3 verificarão que passado algum tempo o óleo volta a ocupar a parte superior do copo. 

Quando se adiciona corante alimentar ao copo que tem água e óleo, cada gota é revestida de óleo. É por isso que as gotas estacionam no óleo. Imaginem que o óleo é com uma bóia que ajuda o corante alimentar a manter-se à superfície. Quando batem nestas esferas com a ponta de um lápis o revestimento de óleo é quebrado e o corante entra em contacto com a água. Uma vez que os corantes alimentares são compostos à base de água, estes vão misturar-se sem qualquer problema com a água presente no copo e formar uma solução.


Isto é uma demonstração, para a transformar numa experiência, alterem as variáveis, registem os resultados, lembrem-se que só podem alterar um variável de cada vez. Por exemplo: testem vários óleos de cozinha, substituam o corante por vinagre ou outro liquido de cozinha.

Et voilá!
Quando vos mandarem tomar banho, digam que são hidrofóbicos!

Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 72

Dmitri Mendelev criou a primeira tabela periodica, esta tinha 65 elementos organizados com base na massa atómica e propriedades comuns.
in www.ehow.com

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Pasta de dentes caseira- Flúor e outras considerações

Flúor- Símbolo químico F, número atómico 9. Este elemento químico é o mais electronegativo e reactivo de todos os elementos da tabela periódica.


Henri Moissan conseguiu isolar o flúor pela primeira vez, corria o ano de 1886, e este facto valeu-lhe Prémio Nobel da Química em 1906. Antes disso o flúor já tinha sido referido por alguns cientistas como Lavoisier (1789) ou Georgius Agricole (1529).


À temperatura ambiente o flúor encontra-se sob a forma gasosa. Neste estado este elemento químico é altamente irritante e tem a particularidade de ser amarelo. Se for inalado, o flúor, é altamente tóxico, mesmo em baixas concentrações.
Quando em doses moderadas, i.e. cerca de 1ppm, este elemento não metálico contribui para a redução das cáries dentárias, mas quando em doses superiores a 2 ppm pode ter um efeito nefasto na higiene oral. Este flúor é fornecido, em condições normais,  através da água da rede pública, devendo portanto ser mantida uma apertada e permanente vigilância da sua composição. 
O fluoreto, F-, é estável e encontra-se na natureza em minérios como a fluorite (CaF2), a criolite (Na3AlF6) e a fluorapatite 3Ca3(PO4)2Ca(F,Cl)2.

O flúor é utilizado actualmente no fabrico de polímeros como o Teflon, usado em revestimentos resistentes, ou o Goretex, um material impermeável à água mas permeável à respiração da pele. É também utilizado no fabrico de  medicamentos como os antibióticos.


A higiene oral é uma das principais preocupações de hoje em dia. Os dentes são efectivamente uma peça importante do nosso corpo, nos dias de hoje já não se morre com uma cárie, mas uma infecção crónica num dente pode afectar o organismo, debilitando-o e/ou provocando danos com um desfecho pior. É conhecida a necessidade de lavar os dentes de forma diária e sempre que se come, para uma boa lavagem deve ser utilizada uma escova de dentes e pasta dentífrica, ora um dos componentes destas pastas é o flúor. 

Na ida às compras a pasta de dentes é sem dúvida aquele "coisa" que não podemos esquecer, e no meu caso é sem dúvida um momento de stress e confronto: "Não gosto do sabor", "Essa pica", "Essa é verde", podia estar aqui o dia todo, as desculpas das crianças para levar a pasta de dentes do boneco de animação da moda e que sabe a pastilha elástica são infindáveis, por isso trago-vos hoje uma receita, entre muitas, de produzir pasta de dentes, este é um processo simples e educativo, e recorre apenas a produtos naturais e a alguns materiais de uso diário. Esta tirei daqui.


Precisamos de:
  • Água,
  • Tomilho,
  • Salva,
  • Caulino,
  • Essências de menta e anis,
  • Corante alimentar, não é obrigatório, mas dá mais vida,
  • 2 colheres, uma de sobremesa outra de sopa,
  • Uma vareta, podem utilizar um daqueles pauzinhos chineses,
  • Conta gotas,
  • Copo medidor, daqueles de cozinha,
  • 2 recipientes,
  • Coador fino, de cozinha serve perfeitamente,
  • Tubo ou recipiente para armazenar a pasta.
Com fazer:
  1. Fervam meio litro de água, cuidado com as queimaduras;
  2. Quando  água ferver juntem 1 colher de sobremesa de tomilho e 1 colher de sobremesa de salva;
  3. Deixem repousar durante alguns minutos, como se faz com o chá;
  4. Deixem arrefecer;
  5. Usando o coador, coem o "chá" para um dos recipientes,
  6. No outro recipiente coloquem 2 colheres de sobremesa de caulino e 1 colher de sopa de filtrado;
  7. Misturem bem, homogenizem o preparado;
  8. Adicionem o corante alimentar, 3 a 5 gotas, 2 gotas da essência de menta e 1 da de anis.
  9. Homogenizem novamente;
  10. Coloquem a pasta nos tubos de armazenamento, podem usar outros recipientes para o efeito, aqueles frascos pequenos onde costuma vir o foie gra são óptimos.


O segredo desta receita, segundo a autora, está nas plantas utilizadas na sua confecção.O anis, o mentol e o tomilho, essencialmente combatem o mau hálito. Mas um dos principais objectivos de uma pasta de dentes é o combate bacteriano, pela desinfecção das gengivas, aqui é a Salva que assume esse papel.

Não estou certa que esta pasta deva ser utilizada de forma generalizada e durante todo o tempo, a pasta de dentes comercial tem outros componentes importantes como o flúor, que é, na minha opinião, essencial para uma boa higiene oral. Há que ter em conta, no entanto, que o flúor nos chega por outras vias, como a água da rede pública, um pouco à semelhança de outros elementos como o cálcio, que está intimamente ligado ao leite, e no entanto sabemos que há pessoas que não bebem leite e obtêm o cálcio de outras formas.


Referências: www.inmetro.gov.br; www.e-escola.pt/; nautilus.fis.uc.pt/; www.ideiasambientais.com.pt/

Et Voilá!
Acabaram-se as desculpas!

Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 71

O flúor está presente em todos os cremes dentais de uso geral que estão no mercado. Apesar de ser benéfico, ele deve ser ingerido na dosagem correta, para que a prevenção não resulte em efeitos nocivos à saúde.
in INMETRO online

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Para o fim-de-semana uma gargalhada matemática

Encontrei este texto aqui, não deixei de dar uma sonora gargalhada, espero que gostem.


EVOLUÇÃO DO ENSINO DA MATEMÁTICA EM PORTUGAL


Ensino fascista - Anos 60
Um camponês vendeu um saco de batatas por 100$00. As suas despesas de produção foram iguais a 4/5 do preço de venda. 

Qual foi o seu lucro?

Ensino democrático - Anos 70
Um camponês vendeu um saco de batatas por 100$00. As suas despesas de produção foram iguais a 4/5 do preço de venda, ou seja, foram de 80$00 e sobraram 20$00.
Qual foi o seu lucro?
 

Ensino moderno - Anos 80
Um camponês troca um conjunto B de batatas por um conjunto M de moedas. O cardinal do conjunto m é de 100 e cada elemento de M vale 1$00.
Desenha o diagrama de Venn do conjunto M com 100 pontos que representam os elementos desse conjunto.
O conjunto C dos custos de produção tem menos 20 elementos do que o conjunto M. Representa C como sub-conjunto de M e escreve a vermelho o cardinal 20 do conjunto L do lucro.

Ensino renovado - Anos 90
Um agricultor vendeu um quilo de batatas por 100$00. Os custos de produção elevam-se a 95$00 e o lucro é de 5$00.
Trabalho a realizar:

Sublinha a palavra "batatas" e discute-a.

Ensino actualizado - Anos 2000

Um Kampunes reçebeu um çubssídio de 50000 euros pra purdusir bué de çacos de batatas o qual vendeo por 50 euros kadaum e gastou nehums euros dele.
Anliza o testo do iserçício, cunverte 1 euro em escudos e em ceguida dis o que penças desta meneira de henriquesser.
 

Ensino próxima década
Um industrial Agrícola go to buy 10 Trucks de Tubérculos de Batata no site mail.vegeta.come. A cotação do vegetal em bolsa sofre um "Bull" e  o industrial obtém um profit de 100 K eurodólares. Define, através de texto formatado em Pascal, o plano estratégico de enriquecimento para a produção off-shore desses vegetais sem recurso a subsídios on-line.
Pois é.


Et voilá!
Sempre em evolução!

Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 70

Um dos animais conhecidos mais tóxicos do mundo é um pequeno sapo com apenas 2,5cm (Phyllobates terribilis) de cumprimento. Apenas um individuo desta espécie tem veneno suficiente para matar 10 Homens adultos.
in national geographic online

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Em início de aulas a tabuada simplificada

A tabuada! Essa palavra que para muitos rima com reguada e é sinónimo de cantoria. Aquela lenga lenga que temos de saber na ponta da língua e só nos atrapalha, porque muitas vezes não é mais do que uma coisa abstracta e que nas cabeças irrequietas das nossas crianças não faz muito sentido.
Hoje vou partilhar convosco um "truque", que não nos isenta de ter de saber a lenga lenga cantada, mas que ajuda em caso de emergência e facilita de certa forma o raciocínio. Este método funciona nas tabuadas acima da tabuada do 5, e é literalmente "multiplicar pelos dedos"
As ilustrações tirei-as daqui.


O que precisamos:
Das mãos.
Como fazer:
Atribuímos números aos dedos da mão esquerda e da mão direita, de 6 a 10, conforme a figura, os mindinhos são os 6 e os polegares o 10.
Para multiplicar, vamos supor, 7x8 juntamos o dedo 7 com o dedo 8 da outra mão como na fig.;
Quando juntar  os dedos mantenham-nos numa linha recta. Observem que existem dedos que ficam acima desta recta e outros que ficam abaixo desta linha;
Somem todos os dedos que estão abaixo e adicionem os dois que usou para traçar a linha recta (o dedo 7 de uma mão e o 8 da outra), neste caso dá 5- tomem este número como as dezenas.
No que diz respeito aos dedos que ficam acima multipliquem o total de dedos da mão esquerda pelo total de dedos da mão direita- neste caso 3 na mão esquerda e 2 na mão direita, o que dá 6.
Tomem este 6 como as unidades. Temos então 5 dezenas e seis unidades, ou seja 7x8=56.


Existem outras técnicas de multiplicar pelos dedos, essas veremos mais tarde.


Fontes: matematica.com.sapo.pt
 
Et voilá! 
Nem sempre a matemática é chata

Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 69

O maior tubarão-baleia alguma vez medido tinha 12,2 metros de comprimento, no entanto, a pensa-se que esta espécie cresça muito mais.
in national geographic online

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 68

A anemia causada por deficiência de ferro retarda o desenvolvimento intelectual e motor, Diminuindo a capacidade da criança para pensar e aprender. Esses efeitos podem ser permanentes. O ferro em quantidades adequadas é essencial para o desenvolvimento ideal do cérebro e do sistema nervoso.


IN www.linkagesproject.org

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Nature finds a way- O labirinto de luz

É incrível como a frase "Nature finds a way" está terrivelmente correcta, todos nós conhecemos histórias incríveis de animais que salvam seres humanos, de espécies que percorrem milhares de km apesar das inimagináveis dificuldades, como as borboletas monarca, ou os salmões quando sobem o rio.


A Natureza rege-se assim por um conjunto de regras que permitem aos ecossistemas funcionar em equilíbrio, teoricamente "ad eternum" se não forem perturbados pela "mão humana".


Hoje trago-vos uma demonstração de como a natureza encontra sempre forma de ultrapassar as dificuldades.
O ensaio é  muito simples  permite a observação directa da luta pela vida.


Precisamos de:
  • 1 batata;
  • vaso pequeno,
  • terra,
  • caixa de sapatos,
  • blocos de madeira, legos, ou outros pequenos obstáculos que caibam dentro da caixa de sapatos.
Como fazer:
  1. Deixem  batata à temperatura ambiente, para que ela possa germinar, este procedimento deve ser feito em ambiente seco, com luz, e quente. Este procedimento pode demorar até 6 semanas;
  2. Peguem na batata e coloquem-na no vaso com os "olhinhos" virados para cima;
  3. Cubram a batata com terra húmida;
  4. No lado mais estreito da caixa façam um orifício redondo do tamanho de uma pequena moeda;
  5. Coloquem o vaso dentro da caixa na extremidade oposta ao buraco que abriram na caixa;
  6. Com os legos construam pequenos muros e obstáculos;
  7. Coloquem estes obstáculos o longo da caixa, até ao orifício, não tapem o buraco e tenham o cuidado de se certificarem que existe pelo menos um caminho liberto até ao buraco;
  8. Tapem e vedem bem a caixa para não entrar luz;
  9. Coloquem a caixa num local com luz directa e virem o lado do orifício para a luz;
  10. Esperem 3 ou 4 dias e observem.
O que acontece?
Depois de algum tempo irá observar o crescimento da planta em direcção à luz os rebentos naturalmente iram contornar os obstáculos e encontrar a luz que sai do orifício.


Porquê?
Porque a planta precisa de luz para produzir alimentos, e dessa forma o crescimento será sempre em direcção à luz, esteja ela onde estiver.


Transformem esta demonstração uma experiência, experimentem com outras plantas. Respondam à pergunta: "Será que todas as plantas crescem da mesma forma?" Podem experimentar por exemplo com feijão, com cebola..., os feijões não podem ser dos congelados nem dos enlatados.

Et Voilá!
Nature finds a way!


Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 67

A floresta ocupa 38 % do território de Portugal continental, apresentando diferentes taxas de arborização nas várias regiões do País.

in http://www.celpa.pt

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Corações clip, Uma ideia super irrequieta

Hoje trago-vos uma ideia super irrequieta que vi no blog da Tais. Uma ideia fantástica para decorar uma prenda, oferecer no Natal, dia dos namorados, ou simplesmente fazer e usar:

Clips dobrados em forma de coração, para juntar aquela ideia dos marcadores com clips que vimos aqui.



Estes corações podem ser feitos nas mais variadas cores, claro que ficam mais bonitos em vermelho ou rosa.

Et voilá!
Obrigada Tais. Simples e super irrequieto

Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 66

Os portugueses são os maiores consumidores de batata da Europa, neste pódio a Irlanda aparece em segundo lugar, o bronze vai para Inglaterra.
in Potato Council online

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Marlin e Nemo, os peixes palhaço que vivem no nosso imaginário

 

O Peixe Palhaço entrou no imaginário das crianças e até dos adultos com o filme da Pixar, quem não se derrete com aquele ser às riscas!?.


Este peixe simpático vive no mar e apresenta-se sob a forma de 30 espécies diferentes, todos muito coloridos. As cores mais comuns são sem dúvida aquelas que apresentam o Marlin e o Nemo, o laranja e branco às riscas.


Como são peixes de água quente preferem locais como o Oceano Pacífico ou o Mar Vermelho para viver. Ao contrário da ficção simpática da Pixar, o peixe palhaço é agressivo e muito territorial.

Os peixes palhaço são hemafroditas
Segundo alguns autores os peixes palhaços vivem em grupos altamente hierarquizados. 
Cada grupo é constituído por uma fêmea e vários machos, se a fêmea morre um dos machos maiores e dominantes assume o seu lugar alterando o sexo transformando-se assim em fêmea, este processo de transformação acontece em várias espécies e permite a continuação das mesmas de forma eficiente.
Assim sendo os peixes palhaço nascem machos e tornam-se fêmeas depois de adultos.

A simbiose com a anémona
Os locais mais comum para encontrar o peixe Palhaço são os tentáculos da anémona do mar. A anémona do mar  é um predador que utiliza os tentáculos para capturar as suas presas. Os seus tentáculos, depois de tocarem na presa funcionam como um género de arpão que injecta uma toxina na presa e a deixa paralisada.
O peixe palhaço é imune a estas toxinas, os investigadores acreditam que o seu corpo é coberto com uma camada viscosa que lhe permite "divagar" em constante movimento pelos tentáculos da anémona sem ser afectado.
Nesta divagação o peixe palhaço alimenta-se dos restos das presas da anémona e ao mesmo tempo mantém-na livre dos tentáculos mortos, para além disto este peixe também utiliza a anémona como "escudo" mantendo os predadores longe. Esta é uma relação de simbiose, uma relação de "ganho-ganho".

Voltando ao filme certamente se recordaram do seu inicio... o Marlin não saía "de casa" há muito tempo porque tinha medo de ser apanhado pelos peixes grandes. Logo a seguir ficamos a saber que o Nemo tem de se esfregar nos tentáculos diariamente.


Nome científico: Amphiprion percula
Reino                  Animalia
Filo                     Chordata
Classe                 Actinopterygii
Ordem                Perciformes
Família               Pomacentridae
Gênero               Amphiprion
Espécie              Amphiprion percula


fontes:http://tolweb.org e http://life.bio.sunysb.edu

Et voilá!
São estes pormenores que fazem do filme um grande filme.


Divirtam-se!


Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 65

115000000000 folhas de papel são usadas ​​anualmente para computadores pessoais.
Fonte: Worldwatch Institute

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 64

Não comam a pele ou a gordura do peixe. A maioria dos contaminantes são acumulados nestas zonas.
in bellybytes.com

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

A água pode explodir no microondas?

Mais um mito urbano, tal como aquele dos imans que vimos aqui. Este foi um email viral que correu as nossas caixas de email há algum tempo atrás, chamou-me à atenção porque não tem muitos dias voltei a recebe-lo. 

Este é o email: 

"FW: Alerta de Segurança - Água de microondas 

Penso que o seguinte é informação importante para quem usa um microondas Há cerca de cinco dias atrás meu filho de 26 anos decidiu tomar uma chávena de café instantâneo. Pegou num copo de água e colocou-o no microondas para o aquecer (algo que ele tinha já feito inúmeras vezes). Não estou certo quanto tempo ele colocou no temporizador, mas segundo me disse queria que a água fervesse. Quando o tempo terminou retirou a chávena do forno. Apesar de a água não ter fervido a água no copo "explodiu" na cara dele quando retirou a chávena do microondas e olhou para ela. A chávena permaneceu intacta mas toda a água que tinha voou para a sua cara devido à acumulação de energia. Ele ficou com queimaduras de 1º e 3º grau na cara e provavelmente vai deixar cicatrizes, Perdeu também a visão do olho esquerdo. 

Enquanto estava no hospital, o médico que o assistiu afirmou que esta ocorrência é bastante comum e que a água (sozinha) nunca deve ser aquecida no de microondas. Se a água é aquecida desta forma, deve-se colocar alguma coisa no copo para difundir a energia, como uma vareta de madeira, saquinho de chá, etc No entanto, é muito mais seguro ferver a água numa chaleira. Por favor, passe essa informação aos seus amigos e familiares."

A primeira questão que se coloca está relacionada com a própria fonte da mensagem. O autor é anónimo, a vitima é anónima, o local onde aconteceu é desconhecido. O médico... não é identificado o hospital. Resumindo, não há maneira de confirmar qualquer uma destas coisas.

Agora analisemos a dita explosão, pode acontecer? digamos que sim, ainda que não se trate de uma verdadeira explosão (arriscaria dizer, que nem sequer é uma explosão).

Observemos uma panela com água ao lume, como quando cozemos alimentos. Quando a água começa a aquecer formam-se pequenas bolhas que se soltam das paredes da panela, isto acontece porque a panela aquece a água de fora para dentro, se desligarmos o lume e mexermos a água ela fica "mais fria" sem bolhas, a água com a temperatura mais baixa, que estava no centro da panela, mistura-se com a água a uma temperatura mais alta que estava nas paredes do recipiente.
Observemos agora o que acontece quando aquecemos um prato de sopa num microondas (uso o exemplo da sopa porque não vamos arriscar a água "explodir" sem ter certeza que pela lógica científica isso não vai acontecer). Ao contrário do fogão um microondas aquece a comida de dentro para fora, o que faz com que a sopa fique mais quente no centro do que nas bordas do prato.

Transportemos este fenómeno para a água. Colocamos um copo de água no microondas e aquecemos o tempo que achamos suficiente para que a sua temperatura atinja o ponto de ebulição (100ºC). Ora como este eletrodoméstico aquece de dentro para fora o que vai acontecer é que o seu centro estará de certeza mais quente do que a água junto às paredes, isto aliado ao facto de que por vezes os líquidos sobre aquecidos no microondas não libertam o vapor, o que vai acontecer é que quando retirar o copo a água pode, com o choque térmico da temperatura ambiente, libertar de repente e sem aviso, uma bolha de vapor que se forma porque o centro da água está acima do ponto de ebulição. Este fenómeno também pode acontecer quando adiciona qualquer coisa à água sobre aquecida (chá, café...), o equilíbrio é perturbado e da-se a libertação do vapor.

Então pode acontecer? A mensagem é verdadeira?
Não. A mensagem, para além das falhas que tem que não permitem confirmar a sua veracidade, tem alguns detalhes que a tornam altamente improvável.

Os microondas actuais têm, na sua maioria, pratos giratórios. Estes pratos são conhecidos pelos utilizadores por homogenizar o aquecimento da comida, do ponto de vista do funcionamento do aparelho estes pratos são extremamente úteis por provocarem movimentos vibratórios suficientes para não deixar os alimentos sobre aquecerem.
Outro ponto que é necessário ter em conta está relacionado com a porta do microondas, quando se abre ela trepida, se algo tiver de "explodir" esta trepidação é suficiente.
Tendo em conta estes dois pontos, é altamente improvável a história ser verdadeira, porque também é altamente improvável que a vitima tivesse conseguido abrir a porta, tirar a chávena e olhar para ela antes da água entrar em ebulição.
Não é no entanto impossível. Segundo  Louis Bloomfield, professor de física na Universidade de Virgínia, não há relatos de queimaduras graves com esta origem, relembremos o email em que esta é uma "ocorrência bastante comum".

Resta apenas aconselhar o bom uso do microondas, tal como de qualquer outro eletrodoméstico.  
Os fabricantes recomendam que os alimentos ou líquidos aquecidos num forno microondas fiquem lá por uns minutos antes que sejam tocados e/ou consumidos.

Fontes:
Fisica interessante online, About.com
imagens da net

Et Voilá!
Parece-me um bom conselho, mas a explosão é altamente improvável!

Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 63

O mel é mais do que um doce. Uma recente revisão da literatura científica revela que o mel contém antioxidantes e, embora em quantidades residuais, uma ampla gama de vitaminas, minerais e aminoácidos.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Origami do Tsuru Grou- mitos e lendas

O origami é a arte de dobrar papel.
Origami (significado etimológico: "dobra(ori) e papel "(Kami)), é a arte de dobrar papel sem a utilização de instrumentos e ferramentas como a tesoura ou a cola. É possível fazer uma quantidade imensa de figuras com uma folha de papel, umas mais complexas que outras, umas com uma folha única, outras com várias folhas.

A dobragem de papel nasceu no Japão, na idade Média. Esta arte era muito formal, de origem folclórica religiosa, cujo objectivo era limitado às cerimonias

Verdade seja dita  todos nós fazemos origami, ainda que não lhe chamemos assim, quando fazemos um chapéu de papel, ou um barco, isso é origami, dobragem de papel sem o auxilio de tesouras ou cola. Esta arte é realmente fascinante e atrai miúdos e graúdos.

As várias maneiras de se dobrarem papéis possuem diferentes significados simbólicos no Oriente. 
  • O sapo representa o amor, a fertilidade; 
  • A tartaruga, a longevidade, 
  • O tsuru (ave-símbolo do Origami), também conhecido por grou ou cegonha, significa boa sorte, felicidade, saúde.

Hoje vamos falar sobre o tsuru ou grou.
Os tsurus  são aves grandes e belas pelas suas cores, esta ave é sagrada para os japoneses.
Estes pássaros eram tidos como companheiros dos eremitas que se isolavam  alto das montanhas. Estes eremitas supostamente tinham poderes que os impediam de envelhecer, a cultura japonesa fala-nos destes passáros como um talismã, e com poderes sobrenaturais capazes impedir o envelhecimento. Por esta razão, o grou, é conhecido como o "Pássaro da longevidade".
Existe a crença que quem dobrar 1000 tsurus pensando num desejo, verá esse desejo realizado, e também que um doente recuperará tão mais depressa quanto maior número de tsurus dobrar durante a convalescência.

O esquema abaixo mostra como dobrar um tsuru, não é difícil apenas requer alguma  destreza.


Se preferirem vejam o filme:


O origami é reconhecido como recurso didáctico há mais de 100 anos. Tendo os primeiros papeis quadrados de 15cm começado a aparecer na terceira década do séc. XX (papeis utilizados nos nossos dias para fazer origami). O aparecimento destes papeis difundiu ainda mais esta arte.
Actualmente, o origami tem-se revelado como um importante auxiliar no ensino básico da geometria além de desenvolver a capacidade motora e criativa do indivíduo.

Fontes: Núcleo de tecnologia educacional de Jaraguá do Sul; Mundo Nipo; Baú do Professor

Et voilá!
Agora que fizeram um continuem, faltam 999!

Divirtam-se!

Factos- Curiosidades instantaneas, só juntar água 62

A visão é um dos nossos sentidos mais delicados e complicados. É também o mais intensamente estudado.
Cerca de um quarto do cérebro humano está envolvido na informação da retina, no processamento visual, isto é mais do que para qualquer outro sentido.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Papel velho- Papel novo- Vamos (re) fazer papel

Para fabricar 50 quilos de papel, uma árvore é cortada; mas uma tonelada de papel reciclado evita o abate de 15 a 20 árvores.
Cerca de 40% do lixo seco que uma pessoa produz por dia é constituído por papel; mas no primeiro semestre de 2011 os portugueses separaram 17.256 toneladas de papel e cartão.


Hoje vamos ver como transformar o papel velho em... papel novo


Precisamos de:
  • Jornais velhos, ou outro papel velho,
  • Uma bacia grande, daquelas de colocar a roupa lavada,
  • Tesoura, não é obrigatório,
  • Água,
  • Dois paus, eu proponho qualquer coisa tipo cana,
  • Panos o mais absorventes possível, vários,
  • Uma estrutura em madeira com uma rede, tipo coador grande,
  • Uma superfície lisa,
  • Uma varinha mágica.
Como fazer:
  1. Cortem o papel que querem reciclar em bocadinhos para a bacia, não muito grandes;
  2. Cubram o papel com água, dobrem a quantidade de água, deixem-no repousar durante 2 a 3 dias;
  3. Usem a cana para o ir mexendo de vez em quando, também podem utilizar um "pauzinho chinês" depende da quantidade de papel que queiram reciclar;
  4. Utilizem a varinha mágica para triturar o papel, até ficar uma massa, este é um processo de paciência e pode ser que tenha de ser feito várias vezes;
  5. Coloquem esta pasta na estrutura de madeira, esta estrutura pode ser feita por vós, utilizando uma rede fina que podem adquirir numa loja de jardinagem, ou comprada já feita;
  6. Espalhem a pasta numa camada fina mas homogénea e sem "buracos", façam isto no quintal ou numa varanda, para não sujar nada;
  7. Coloquem as canas nas pontas da estrutura para a levantar do chão e a água escorrer à vontade;
  8. Estendam os panos na superfície lisa;
  9. Com muito cuidado virem esta pasta de papel escorrida para o pano, de forma a que ela não perca a forma;
  10. Repitam o procedimento até não terem mais pasta;
  11. Coloquem um segundo pano em cima da pasta de papel, tipo sandwich;
  12. Coloquem pesos em cima deste segundo pano, atenção que o que utilizarem para peso irá ficar molhado, não usem livros;
  13. 24horas depois retirem o peso e o segundo pano;
  14. Deixem secar ao sol, até ficar seco;


Fontes:
http://www.boasnoticias.pt
http://www.junior.te.pt


Et voilá!
Fica lindo! podem fazer papel de vários tipos, cores, texturas, ir até onde a imaginação vos levar!


Divirtam-se!

Dê uma olhadela

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...