Quem passa por cá

.

.
Vejam a lista de cientistas que estão no Mentes. UPDATE 07/01/2014

Projecto ENCERRADO Projecto II/2013- vida nocturna no meu jardim.
Vejam AQUI as CONCLUSÕES

quinta-feira, 8 de março de 2012

Limões flutuantes... ou nem tanto

Um dia destes enquanto fazíamos um bolo reparámos num fenómeno muito simples mas intrigante, os limões que íamos usar depois de descascados afundavam-se na tina de água onde estavam, porquê?
Vamos testar.

Precisamos de:
  • água,
  • caixa ou tina, de preferência transparente,
  • 1 limão,
  • o vosso caderno de bancada, que vos deve acompanhar sempre nestas actividades.
Como fazer:
  1. Encham a tina de água, o suficiente para que o limão não toque no fundo se flutuar;
  2. Coloquem o vosso limão lá dentro;
  3. Observem o que acontece e registem os resultados no vosso caderno;
  4. Retirem o limão da água;
  5. Descasquem o limão, com os dedos, um descascador ou uma faca;
  6. Coloquem-no de novo dentro da tina;
  7. Observem o que acontece e registem os resultados no vosso caderno.
NOTA: Deve ser o adulto a manusear as lâminas 


O que acontece?
O limão com casca flutua, quando o descascamos afunda.

Porquê?
Reparem que o limão com casca só afunda o suficiente para equilibrar o seu peso, no nosso caso ficámos com cerca de 1/4 do limão fora de água.

A explicação para este fenómeno não é só uma, na realidade é uma súmula de alguns factores que se conjugam para que o limão flutue.

Densidade, a densidade é sem dúvida um dos factores que faz os objectos flutuar ou não, a densidade depende do peso e do volume do objecto, mas uma vez que o limão descascado se torna mais leve e no entanto afunda, não é expectável que a densidade seja a responsável pela sua flutuação.
Porosidade, a casca do limão é extremamente porosa pelo que, quando colocado na água, o ar que enche estes poros não consegue escapar deles e fica "preso", o que faz o limão flutuar.

Quando descascamos o limão, a casca flutua? e se rasparmos a parte branca da parte amarela, o que acontece? Experimentem!

  1. Peguem na casca do limão e numa faca, deixem o adulto fazer isto;
  2. Coloquem a casca na tina;
  3. Observem e registem as vossas observações;
  4. Retirem toda a parte "branca e mole" da casca;
  5. Coloquem a parte branca na tina;
  6. Observem e registem as vossas observações;
  7. Agora coloquem a parte amarela;
  8. Observem e registem as vossas observações.


"A parte branca da casca" do limão flutua! a parte amarela não! Uma observação visual mais cuidada deixa-nos perceber que a parte branca é muito esponjosa e por isso muito "leve", ou seja, a sua baixa densidade faz com que ela funcione como uma bóia!
Em termos de evolução, em que só os mais fortes sobrevivem, podemos ver esta flutuação do limão como uma vantagem competitiva, os frutos que flutuam podem cair aos cursos de água e resistir a viagens "molhadas" tendo como destino outras terras onde as suas sementes podem proliferar à vontade.


Podem transformar esta demonstração numa verdadeira experiência:
  • Experimentem utilizar outros citrinos, como a tangerina, a laranja ou a lima, flutuam? não flutuam? Porquê?
  • Experimentem com outros frutos, bananas, maçãs, pêras... flutuam? não flutuam? Porquê?
  • Existem limões de casca fina e limões de casca grossa, utilizem um de cada, flutuam? não flutuam? Porquê?

Estas propostas são apenas para fruta e água, mas a vossa mente irrequieta pode querer testar outros meios e outros objectos.

Et voilá!
Arquimedes em funcionamento.

Divirtam-se!

2 comentários:

mfc disse...

Eu bem sabia que gostava de limões!!!

Restless Minds disse...

São muito fixes não são? dá para fazer 1001 coisas, para além de limonada!

Dê uma olhadela

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...